Decisão e Crescimento Pessoal


A natureza tem a característica de acolher vidas e deixá-las participar naturalmente do processo de desenvolvimento. Isso é o processo de evolução que acontece com cada ser vivo, mas não é um processo deslocado de compromisso e sem inteligência. O processo de desenvolvimento na natureza é inteligente e criativo.

A natureza tem muito a nos ensinar sobre crescimento e vida.

É com criatividade, que os seres vivos se desenvolvem no ambiente da natureza e proporcionam espaços sagrados de mobilidades fundamentais às etapas elementares de cada ser. Os instintos naturais permitem as evoluções e intensificam a permanência do seu processo.

O ser humano é o único ser neste mundo que pode interagir diretamente com a natureza, podendo feri-lá ou cuida-lá. É uma questão de decisão, de escolha. O agravante é que muitos não sabem decidir para o bem, ou não acreditam que ele deve ser exercido. Já ouvi pessoas dizerem que não fazem o bem porque quem o faz só recebe o mal. Há até expressões que dizem: “O bem se paga com mal!”

Existem pessoas apavoradas, com medo de saírem de casa por causa da violência, da “língua” do povo, entre outras coisas desagradáveis. Por trás disso, está o medo de decidir, porque todos sabem que a decisão implica mudanças e nem todos estão preparados para elas. A comodidade, aparentemente tem mais segurança mais não constrói a história. E a história é feita com aqueles que fizeram o bem e a  promoveram.

O seu medo pode tirar a sua paz e impedir a realização de seus sonhos e projetos.

Quantas vezes encontrei pessoas arrependidas por não terem tomado certas decisões, outras que deixaram de tomar algumas decisões trinta anos atrás. Mas muitas estão paradas e não querem decidir-se, apesar de saber que é a melhor coisa a fazer. Por traz, das vontade de decidir esta o desejo de ser feliz, de querer algo novo.

O ser humano foi criado para o novo. A história segue, mas é cada um em particular, ou com um determinado grupo que tem que agir tomando as atitudes decisórias. Mesmo sem querer agir com essa coisa intrínseca à vida, muitos não percebem que a história e os acontecimentos da vida forçam, mesmo que contra a vontade, a novas dimensões.

Não faço uma análise de mim mesmo, isolado de todo o conjunto da humanidade. O que me coloco a compreender é a partir dos traços comuns que o ser humano possui. Realmente existem questões próprias que só os seres humanos enfrentam, como a capacidade de raciocinar, de planejar, de ensinar, de criar.

Neste mundo, somente o ser humano consegue criar máquinas, objetos, coisas. Além disso, sua capacidade de criar ambientes de ralação é particularizada entre todos os seres vivo do planeta. Somente o ser humano consegue criar um ambiente familiar particularizado. É, também, somente ele que tem a capacidade de criar uma escola de troca de saberes com pessoas diferentes.

A criatividade humana é dom de Deus para a felicidade que se desenvolve na solidão da vida.

É o ser humano que tem a sua disposição habilidades de projetar-se para o futuro, de escrever sua história. O tempo presente da história da humanidade é o resultado de muitas decisões tomadas por pessoas há anos atrás. Santos Dumont, por exemplo, usou sua capacidade criativa para criar e desenvolver o primeiro avião da história, possibilitando, hoje, a facilidade de deslocamentos de pessoas, objetos e animais para várias partes do planeta de modo rápido.

Infelizmente, com a ascensão da mídia globalizada em função do lucro e da riqueza individualizada, ficamos expostos e incentivados a criar e desenvolver exageradamente as loucuras, a insegurança, o pessimismo, o medo, o desprezo, o ódio. Sem perspectiva de melhorias as pessoas adoecem, de modo que todo o ambiente de relações, como famílias, escolas, lugares de trabalhos, convívio de amizades ficam doentias e chatas.

Acredito que no nosso dia a dia somos convidados a decidir em contribuir para o bem ou para o mal. Mas, há pessoas que tem dificuldade decidir entre um e outro e mantem os dois em paralelo. Já ouvimos várias vezes a expressão: “Fulano, rouba, mas faz.” Esta expressão se refere ao político que desvia claramente o dinheiro público para si mesmo e para os seus aliados e, ao mesmo tempo, faz obras na cidade.

Apesar das minhas dificuldades, muitas pessoas se sentem atraídos a decidir pelo desenvolvimento de todas as coisas boas. Elas têm razão suficiente para isso e por mais que queiram desistir, devido às provocações, sentem uma força maior que as atraem. Muitas vezes, pessoas se sentem sós e pensam em desistir do bem para o mal, mas encontram outras que estão na mesma situação e ao dialogarem ficam encorajadas e fortalecidas.


ACELERE OS PASSOS DA SUA FELICIDADE

Gilmar Passos

Gilmar Passos, orienta as pessoas a terem a vida saudável e harmoniosa através da espiritualidade ensinada pelo Grande Mestre Jesus Cristo.

Website: http://www.vidaemdesenvolvimento.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *